Em defesa do número Pi

A circunferência não é uma reta, seus pedaços não são segmentos de reta, embora quando muito pequenos sejam frequentemente confundidos com segmentos de reta, pois apesar de tortos, os arcos de circunferência possuem comprimento da mesma forma que um barbante enrolado num carretel também possui.

Para estimarmos o comprimento total de uma circunferência basta enrolar um barbante em volta dela, depois estica-lo e medi-lo. Mas este procedimento é bastante impreciso e pode ser evitado se multiplicarmos diâmetro da circunferência pela constante matemática irracional mais antiga que conhecemos: O número Pi.

Pi

Pi é um número quase místico para todos que o estudam, mas da sua descoberta até o nosso atual nível de conhecimento e domínio, este número prestou-se a uma infinidade de aplicações que impulsionaram o estudo da matemática, o que está diretamente ligado ao avanço da nossa tecnologia.

Hoje possuímos telefones celulares que acessam a internet demonstrando a alta tecnologia das telecomunicações. Mas não se estuda o comportamento de uma onda eletromagnética sem a capacidade de manipulação aritmética do número Pi. Então, se hoje você está lendo esta postagem no seu computador, celular ou tablet, é por que algum dia, alguém estudou muita trigonometria.

Para entender as primeiras aplicações do número Pi aos problemas mais comuns cobrados pelos principais vestibulares do pais leia o resumo:

Arcos de circunferência

Para exercitar a aplicação desses conceitos, faça a seguinte lista de exercícios:

Ângulos e arcos de circunferência

 

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *